Maior agilidade para o dia a dia do síndico(a)
Edição 125 17 anos

Sindicos(as) em destaque

É muito comum constatamos que existem predominantemente três tipos de síndicos: Sindico profissional, sindico oportunista e sindico servidor.

Ser síndico

É muito comum constatamos que existem predominantemente três tipos de síndicos: Sindico profissional, sindico oportunista e sindico servidor. Absolutamente nada contra os síndicos profissionais, desde que prestem um trabalho a altura do que da profissão se espera. Não se esquecendo que um profissional, tal qual numa empresa, deve ter metas, objetivos, orçamentos, normas e procedimentos... E acima de tudo prestação de contas para todos os 'donos' do empreendimento, que querem em troca da remuneração e do 'emprego oferecido' um retorno seja ele subjetivo (clima interno, ambiente alegre, convívio harmonioso, respeitoso, etc...) seja ele objetivo (Taxa condominial justa, manutenções pro ativas em dia, reativas imediatas, fundo de reserva sólido, prestação de contas coerentes e corretas, etc...). Absolutamente tudo contra os síndicos oportunistas que não medem esforços para se perpetuarem no poder, pois querem ser síndicos pela oportunidade de 'lidar com dinheiro dos outros', que burlam todas as regras e leis, que atrasam e escondem de todas as maneiras as contas e os gastos do condomínio, que deixam de ser executores e absorvem as responsabilidades de legisladores, que sempre tem um mau relacionamento com prestadores de serviços, funcionários e moradores. E o pior de todas as características: São desonestos na gestão dos recursos usando de artifícios mais que conhecidos e manjados de superfaturamento, notas frias, deixam de pagar as obrigações fiscais e legais, deixando a entidade 'condomínio' com um passivo nefasto para o futuro. Geralmente a passagem desses síndicos deixa sérios problemas que demoram muito para serem sanados. Já os síndicos servidores são raridades, mas ainda se vêem muitos por ai. O síndico servidor doa muito mais do que ganha do condomínio, seja remuneração, seja isenção, porque ele se insere e sabe que faz parte de tudo aquilo à sua volta. Ele empresta para a comunidade seus conhecimentos técnicos e profissionais, suas habilidades de negociação, seus conhecimentos jurídicos, seu grupo de relacionamento (onde e com quem conseguir melhor e mais barato). Ele administra o condomínio como se fosse uma empresa que precisa dar lucro para seus acionistas. Ele sabe que prestar contas é um privilégio e não uma obrigação. Enfim, ele não se importa com o que ganha, mas se importa com o que trás de benefícios para a comunidade. Porque ele e sua família são também beneficiados seja com o bem estar, seja com a valorização do imóvel, seja com a satisfação do dever cumprido e do privilégio de olhar a todos nos olhos. É um erro não se preocupar e identificar essas características nas pessoas que administram nossos bens, pois sempre que um imóvel está a venda ou em locação a primeira pergunta após o preço do imóvel é: Qual o valor da taxa condominial?. Outra pergunta que não se faz, mas que deveria ser feita: Qual o montante de recursos no fundo de reservas?, pois o fundo de reservas é exatamente a contribuição no presente de custos invisíveis de desgastes, fadigas, depreciações que ocorrem no dia-a-dia mas que se realizarão num futuro que não podemos precisar. Na contra mão de tudo isto, existe um ditado que diz que cada povo tem o governante que merecem. Então, temos de olhar também que existem condôminos e condôminos. Tem condômino que confunde a figura do sindico, que quer dizer ADMINISTRADOR pela figura de um serviçal que tem de ser acordado a noite por motivos banais, que acha que 'é pago' e precisa ficar refém dos caprichos e queixumes infindáveis, que quando acerta 99 não recebe uma menção, mas quando ocorre uma falha, o mundo cai. Naor Franco Sindico do Condomínio do Edifício Sunset Boulevard Administramos com prazer um edifício com 92 unidades, com taxa condominial 10% abaixo de nossos pares com as mesmas características e nos orgulhamos de ter um sólido fundo de reservas, que nos garante tranqüilidade e segurança de que os recursos são justos e corretamente aplicados dentro do condomínio

O síndico é antes de tudo um forte

Dei um aumento de 25% ao faxineiro. Reforma social começa em casa. Se eu continuar nesse ritmo,setembro coletivizo os meios de produção. Um cantador boliviano do Largo da Carioca ficou de me dar dicas sobre nacionalização.
Quinta-feira à noite eu estava calmamente deitado, relaxando com a leitura de um libelo contra o imperialismo americano. Minha paz foi interrompida por telefonema de vizinha me alertando para um vazamento. Desço até o pátio e vejo as cataratas do Iguaçu em versão reloaded, transplantadas (transaquadas?) para Santa Teresa.
Seguem-se minutos de caos no qual a população local se posiciona no pátio e ocorrem os seguintes fatos:
1) A constatação de que algo estourou na Caixa d'água e é preciso fechar o registro.
2) A descoberta de que a válvula fica num lugar escuro e que ninguém no prédio tem lanterna
3) Uma revisão do ponto anterior ao se descobrir de que sim, há uma lanterna
4) A dissolução da válvula por excesso de podridão 5) O fechamento da válvula (ou, tecnicamente, do que sobrou dela) com uma chave especial
Tomei as medidas necessárias diante de tal crise, ligando imediatamente para os encarregados da obra, que me disseram só poder resolver o problema na segunda-feira. Coloquei em funcionamento o Método Aeromoça: sorria e emita uma declaração tranquilizadora. Dirigi-me à população com um Manifesto ao Mundo, cujas palavras imortais serão farol de esperança para lutas futuras:
Caros vizinhos, na quinta-feira à noite tivemos um problema na caixa d'água e foi necessário fechar o registro. Já estamos providenciando o conserto que deve estar resolvido no mais tardar na segunda-feira.
Peço a todos que economizem água durante o fim de semana. Cordialmente, Maurício nos dias seguintes, descobri que a reforma da caixa d'água vai ser um pouco mais complicada do que pensava. Os dois mestres de obra que examinaram o local me declararam que nunca viram uma tão ruim (este foi o único trecho publicável de suas análises). A bóia foi trocada de manhã. Horas mais tarde, estourou uma segunda bóia. Mas agora o Condomínio tem água novamente. Por enquanto, é claro, mas o que diabos é para sempre nesta vida?
Para a semana devo receber o orçamento que encomendei sobre uma mega-reforma no corredor, que inclui facilitar o acesso à caixa d'água. Ia pedir umas rampas para o Niemeyer, mas ele deve estar se achando depois de ser capa da revista do Globo sobre "brasileiros geniais".

Parceiros
ATENDIMENTO
:: Fale Conosco
INSTITUCIONAL
:: Quem somos
© COPYRIGHT 2014 - CONDOMÍNIO MT. Todos os direitos reservados. All rights reserved.